Image Hosted by ImageShack.us
Agenda do Headbanger (666% Metal) | Shows de Rock e Metal no Brasil: Novembro 2007

SEPULTURA: Entrevista exclusiva com Jean Dolabella / Jean Dolabella exclusive interview


Jean provou desde o seu primeiro show com o Sepultura, que Andréas e Paulo Xisto fizeram a escolha correta para um substituto à altura de Iggor Cavalera.
Em entrevista exclusiva ao blog Agenda do Headbanger, Jean fala sobre seu primeiro contato com o Sepultura, o próximo disco do Sepultura, suas influências e projetos paralelos.



Agenda do Headbanger: Em 1991, você assistiu em Uberlândia, sua cidade natal, seu primeiro show do Sepultura. Nesta época você já era muito fã do Sepultura?

Jean Dolabella: Com certeza!. Eu tinha comprado o vinil do "Beneath The Remains" e estava ansioso pra ir ao show. Foi muito especial, principalmente porque foi o primeiro
show grande de metal que eu fui na minha vida. Então foi bem marcante.


Agenda do Headbanger: Como e quando foi seu primeiro contato com o Sepultura?

Jean Dolabella: Eu morava em Los Angeles na época. O Sepultura estava em tour nos EUA e o Stanley Soares, técnico de PA, tinha acabado de começar a trabalhar com eles. Eu conhecia o Stanley daqui de BH e já tinha feito muitos trabalhos com ele tanto ao vivo quanto em estúdio.
Depois do show conversei um pouco com o Andreas que também já tinha ouvido falar de mim e da minha banda.


Agenda do Headbanger: Você já tocou com importantes nomes como Tianastácia, Sem Misericórdia, Sônia Andrade, Scarceus e Udora (ex-Diesel). Quando fez seu primeiro show com o Sepultura, mesmo tendo muita experiência, você ficou muito apreensivo?

Jean Dolabella: Com certeza o primeiro show não foi fácil. Eu acho que a maior dificuldade foi ter na cabeça que eu estava tocando com uma das maiores bandas de metal do mundo e também substituindo um baterista que era, e ainda é, extremamente respeitado no mundo inteiro inclusive por mim. Além disso tinham umas 20 mil pessoas e a MTV transmitindo. Realmente não foi fácil. Mas no final deu tudo certo.


Agenda do Headbanger: Você é professor de bateria, graduado na Music Academy, em Los Angeles. Depois que entrou para o Sepultura, você continua dando aulas particulares?

Jean Dolabella: Sim. Continuo dando aulas aqui em BH. Além disso, meu pai e eu montamos um "Espaço Cultural" e temos feito bastantes eventos e workshops tanto meus quanto de vários outros músicos.


Agenda do Headbanger: Sobre seus projetos paralelos, você tocou com Andreas Kisser no projeto solo dele chamado "Hubris". Você ainda tem trabalhado no projeto instrumental com o guitarrista Augusto Nogueira? Tem outros projetos em mente?

Jean Dolabella: A gravação do Hubris foi muito especial. Foi a primeira vez que gravei com Andreas e achei que o resultado foi maravilhoso. Músicas bem fortes e rolou uma sintonia muito grande entre a gente. O projeto meu com Augusto tem tomado mais forma. Pretendemos lançar um disco no começo do ano que vem. Tenho também um projeto com antigos amigos daqui de BH que não tem nome e nem previsão de gravação. Ta bem embrionário
ainda.


Agenda do Headbanger: Parece que uma das bandas que você mais gosta é o Meshuggah. O baterista Tomas Haake é uma de suas influências?

Jean Dolabella: O Meshuggah é uma banda que eu admiro muito, mas não é a banda que mais gosto. Nem tenho isso, uma banda preferida. Já fui vê-los duas vezes ao vivo e é realmente impressionante a qualidade dos músicos. Como gosto e escuto muitos tipos de música, tenho várias influências completamente distintas. Durante uma época, o Tomas Haake foi uma influência sim.


Agenda do Headbanger: Dia 21 de setembro nasceu João, seu segundo filho. Como você está fazendo para conciliar a música com sua família?

Jean Dolabella: Isso pra mim é bem difícil. Sou um cara muito família e adoro estar perto deles. Mas da para conciliar numa boa. Só quando fazemos tours muito grandes é que da uma apertada. Mas fora isso, faz parte. Não da para ter tudo.


Agenda do Headbanger: Como estão as composições para o próximo disco do Sepultura marcado para sair em 2008?

Jean Dolabella: Vamos começar agora em Dezembro. Temos umas poucas idéias, alguns riffs, mas nada muito definido. Eu estou muito ansioso pra começar! Tenho certeza que vai ser uma experiência maravilhosa.



English


Jean has proved, since his first gig with Sepultura, that Andreas and Paulo Xisto had made the right choice for a substitute on the same level as Iggor Cavalera. In an exclusive interview to the Agenda do Headbanger blog, Jean talks about his first contact with Sepultura, their next record, his influences and side projects.


Agenda do Headbanger: In 1991, you watched in Uberlândia, your home town, your first Sepultura show. By that time you already were a Sepultura fan?

Jean Dolabella: Absolutely! I had bought the vinyl of "Beneath the Remains", and was eager to go to the show. It was very special, mainly because it was the first major Metal gig I had gone to in my life. So it was pretty remarkable


Agenda do Headbanger: How and when were your first contact with Sepultura?

Jean Dolabella: I used to live in L.A. Sepultura was touring the U.S. and Stanley Soares, the PA technician, had just started working with them, I knew Stanley from BH and I've worked with him both in studio and in live concerts. After the show I had a little chat with Andreas which have already have heard about me and my band.


Agenda do Headbanger: You have played with important names such as Tianastácia, Sem Misericórdia, Sônia Andrade, Scarceus and Udora (ex-Diesel). When you’ve played your first show with Sepultura, even having that much experience, were you still apprehensive?

Jean Dolabella: Absolutely the first show was not easy. I think that the great difficulty was to have in my head that I was playing with one of the biggest metal bands of the world and also substituting a drummer that was, and still is, extremely respected in the whole world including by me. Moreover, it had about 20 thousand people and MTV was broadcasting it..It was not really easy. But in the end things worked out fine.


Agenda do Headbanger: You are a drum teacher, graduated in the Music Academy, in Los Angeles. After that you've joined Sepultura, are you still teaching?

Jean Dolabella: Yes. I continue teaching here in BH. Besides, my father and I are running a "Cultural Space" and we have made a lot of events and workshops, not only mine but with several other artists


Agenda do Headbanger: About your side projects, you’ve played with Andreas Kisser in his solo project called "Hubris". Are you still working in the instrumental music project with the guitarist Augusto Nogueira? Do you have any other projects in mind?

Jean Dolabella: Hubris recording sessions were very special. It was the first time that I could record something with Andreas and I thought that the result was wonderful. The songs were strong and we felt a real good chemistry working together. My project with Augusto's been taking shape. We intent to release an album in the beginning of the next year. I also have another project with some old friends from Belo Horizonte that doesn't even have a name yet and no imminent recordings either


Agenda do Headbanger: Seems like one of your favorite bands is Meshuggah. Is the drummer Tomas Haake one of your influences?

Jean Dolabella: Meshuggah is a band that I admire a lot, but it’s not my favorite band. I don’t even have a favorite band. I’ve seen them live a couple of times and the quality of the musicians is really impressive. As I enjoy and listen to many kinds of music, I have some completely distinct influences. During a time, Tomas Haake was in fact an influence.


Agenda do Headbanger: On September 21st was born João, your second son. How can you conciliate music and your family?

Jean Dolabella: That's very hard for me. I'm a family man and I love to be near them. But I can conceal it very well. Only when the tours are too long, it feels harder to me. But besides that, it's ok. I can't have it all.

Agenda do Headbanger: How's the songwriting process for the next Sepultura album, set to be released in 2008?

Jean Dolabella: We are starting now in December. We have a few ideas, some riffs, but nothing very defined. I am very anxious to start! I’m certain that it’s going to be a wonderful experience.


Entrevistador e tradutor: Tadeu Salgado
Revisão: Luiz Felipe Brito

Sepultura Official Website: www.sepultura.com.br
Jean Dolabella: www.jeandolabella.com

Clique para ouvir / Click to hear
Sepultura - Dark Wood of Error
 
Image Hosted by ImageShack.us